Google+ Followers

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Joni pode assumir em 2013!


Fato público e notório, o prefeito reeleito Joni Lehmann (PTB) e seu vice José Danilson (PSB) tiveram seus diplomas cassados por decisão do M.M. Juiz Eleitoral de Rolândia, Dr. Alberto José Ludovico. Entretanto, segundo fontes extra-oficiais, os advogados dos réus irão invocar o Art. 15 da LC 64/90 (Lei das Inelegibilidades) para garantir a posse de seus clientes em Janeiro de 2013. Segundo tal dispositivo, para a cassação do diploma ou do registro de candidatura é necessário o transito em julgado ou a publicação de decisão proferida por órgão colegiado que declarar a inelegibilidade do candidato. Neste caso, Joni e Danilson só não assumem a Prefeitura se o Tribunal Regional Eleitoral confirmar a inelegibilidade até 31 de dezembro deste ano. Apesar da possibilidade real de assumirem o mandato, a situação jurídica de ambos não é nada confortável. Vamos aguardar...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

O aprendiz de Jardineiro...


Por Paulo Augusto Farina;

Era uma vez, um jovem que possuía um belo ipê em seu quintal. Seu pai, o Jardineiro, o plantou por ocasião de seu nascimento. O ipê já era uma árvore adulta, porém, nunca havia florescido. Certo dia o tão esperado momento chegou: Foram centenas de flores amarelas que deixaram o jovem inebriado! Em seguida, formaram-se as sementes.

Eis que o jovem resolveu preparar mudas de sua árvore querida. Separou todas as sementes que conseguiu: 150 sementes. Preparou o substrato, plantou todas na mesma hora e as regava igualmente, todos os dias. Para a surpresa do jovem, das 150 sementes, apenas 50 germinaram. O jovem ficou triste, mas continuou cuidando de todas igualmente.

Das 50 mudas, 10 cresciam vigorosamente e as outras 40 cresciam em um ritmo mais lento. O jovem idealista não se conformou. Onde teria errado? Por qual razão somente 10 das 50 mudas cresciam mais? O aprendiz de jardineiro, em sua visão limitada da Natureza, desejava que todas as mudas se desenvolvessem de maneira igualitária... 

Para tanto, pensou, bastaria aumentar a rega e a adubação das mudas menores. Entretanto, para sua surpresa, as mudas menores não conseguiram acompanhar o crescimento das mais vigorosas! Diante do impasse, o aprendiz de jardineiro resolveu tomar uma medida mais radical: Diminuir a água e o adubo das mudas maiores! Observou que estas 10 mudas começaram a crescer mais devagar, entretanto, continuaram a se sobressair.

Mesmo assim, o jovem aprendiz não desistiu. Considerou que só havia um jeito de igualar a situação: Era preciso adotar uma medida mais drástica! Foi o que fez: Passou a podar as plantas mais fortes e conservou a política de assistência especial às plantas menores.

Eis que, após algum tempo, as mudas mais fortes estavam mutiladas e as menores continuavam em seu ritmo. Foi então que seu pai, o Jardineiro, resolveu intervir: Meu filho, não há como entrar em conflito com as Leis Naturais. É impossível corrigir a Natureza e não se pode substituí-la! Como você pode ver, todo o esforço empreendido neste sentido é nulo! O máximo que você poderia ter feito era continuar a dar mais atenção às mudas menores, porém, não deveria ter mutilado as plantas maiores! Observe como são  perfeitas as Florestas: Ali nenhum ser humano interviu nas Leis Naturais arbitrariamente! 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Dois anos de Trabalho!


Nosso Blog está completando dois anos. Sobre o título da página, explica-se: Arquivos, pois estamos reunindo parte de nosso trabalho, leituras e pesquisas. (Des)conexos, pois tais escritos versam sobre áreas (aparentemente, sem conexão) mas, que exercem influência sobre minha existência: Política, Meio Ambiente, Literatura, Montanhismo...  

Nestes dois anos, publicamos 223 postagens. Realizamos denúncias, apresentamos propostas e defendemos idéias. Destacamos que todo o trabalho intelectual e de pesquisa contido no Blog é de domínio público. Trata-se de uma singela contribuição à história e ao amadurecimento cultural de nossa Comunidade. Não obtivemos resultado monetário algum sobre este trabalho. Assim é mais fácil conservar uma linha independente.

Neste sentido, chegamos a divergir de nossos próprios aliados políticos (vide, por exemplo, nossos pronunciamentos sobre o mensalão e a proposta absurda de regulação da mídia). Entretanto, nunca baixamos o nível ou realizamos ataques de ordem pessoal. Sempre respeitaremos os cânones da Carta Magna e da Lei da Imprensa. Por fim, agradeço os mais de 43 mil acessos, desejando à todos boas festas e um abençoado ano novo! 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Entenda o caso Tribuna!



Joni e Danilson tiveram seus diplomas cassados pela Justiça no Caso Tribuna (Investigação Judicial n° 343-43.2012.6.16.0059) proposta pela Coligação Pelo Bem de Rolândia. Desde 2009, tal jornal mantinha constante esforço para promover a administração e atacar seus adversários. Para a coligação denunciante, o uso tendencioso dos meios de comunicação,  configura abuso de poder econômico e político. Em sua defesa, Joni alegou que o Jornal  realizava análises independentes a respeito dos acontecimentos políticos de Rolândia. Entretanto, ficou comprovado que o jornal Tribuna do Vale do Paranapanema recebe verbas públicas do Município. Para a Coligação denunciante, o bombardeio de publicações feitas pelo semanário foi de tal ordem que houve mácula no equilíbrio eleitoral. A Investigação Judicial apurou ainda que a empresa terceirizada (PIXEL) que patrocinava o periódico findou seu contrato com o Município de Rolândia em 01/12/2011. A partir de então, a Prefeitura passou a efetuar pagamentos diretos ao Jornal Tribuna do Vale. De janeiro à julho de 2012 os repasses foram da ordem de R$ 35 mil reais. A sentença que cassou o prefeito reeleito João Ernesto Joni Lehmann e seu vice José Danilson de Oliveira ainda não foi publicada. Cabe recurso ao TRE. Vamos aguardar... 

sábado, 8 de dezembro de 2012

Impacto Ambiental Eleitoral!

Foto: Reuters/Ricardo Moraes

Os impressos gastos nas eleições de 2012 poderiam ser utilizados para a publicação de 20 milhões de livros escolares com 50 páginas. É papel suficiente para dar 143 voltas ao redor da Terra. Tais cálculos foram divulgados pelo juiz auxiliar do TSE, Paulo Tamburini. Para a produção de todo este material gráfico, foi necessária a derrubada de 603 mil árvores e o consumo de três bilhões de litros de água. BREVE COMENTÁRIO: Urge inovar as campanhas, valorizando o papel de mídias alternativas (como a internet); Fixar um teto máximo de campanha; Aprovar o voto universal facultativo e o sistema distrital. 

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Com o chapéu alheio?

Luiz Pinguelli Rosa, foi presidente da Eletrobras no governo Lula;

Para o ex-presidente da Eletrobras no governo Lula e professor do Coppe-UFRJ, Luiz Pinguelli Rosa, a proposta do governo Dilma não levou em conta “o valor necessário para as empresas manterem a qualidade do sistema e continuarem a investir na geração de energia. A medida irá gerar desemprego e sucessivos apagões. A queda de 20% para a indústria é uma ficção e o consumidor não vai sentir os 16% prometidos por Dilma” afirma Rosa. O governo poderia demonstrar a sinceridade de seus propósitos isentando os Tributos Federais incidentes sobre a energia, como o PIS/Cofins.  Esta redução poderia ser maior ainda se o Governo banisse a Taxa de Fiscalização da Aneel que não é repassada à instituição, pois fica no tesouro para constituição do superávit primário. 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Memórias do Holocausto!


O Escritor Israelense Aharon Appelfeld;

Vivemos tempos de recrudescimento do anti-sionismo e semitismo. A situação chegou ao cúmulo da negação do Holocausto empreendida por regimes teocráticos e organizações extremistas islâmicas. Outro agravante é o fato da literatura israelense ser pouco conhecida no Brasil. Alguns já ouviram falar em Amós Oz, mas poucos em Aharon Appelfeld. Para o crítico literário Israelense, Gershon Shaked, Appelfeld é “o mais judeu dos escritores israelenses" e sua literatura é comparada a de Mestres como Franz Kafka. Appelfeld é um sobrevivente do Holocausto e sua obra retrata os que se encontram no raio de ação deste cataclismo.

Suas obras são de grande provocação intelectual e psicológica. Ele é apontado como um dos maiores Escritores Israelenses da modernidade. Em 1983, foi agraciado com o Prêmio Israel   de Literatura e em 2005 com o Prêmio Nelly Sachs. Infelizmente, entre nós, o estudo de sua obra permanece restrito aos elevados círculos acadêmicos. Recentemente, tive a oportunidade de adquirir e ler as traduções das novelas Badenheim, 1939 e Tzili. Badenheim retrata Judeus em processo de assimilação cultural, surpreendidos pelo terror nacional-socialista. Paralelos culturais e psicológicos podem ser traçados com a colônia judaico-alemã de Rolândia, retratada e analisada por Kosminsky em Rolândia, a Terra Prometida.  

Para Rifka Berezin, Docente de Língua e Literatura Hebraica da USP, a obra de Appelfeld é um testemunho autêntico sobre o Holocausto: Em seu interior pulsam os horrores e as perseguições que sua geração enfrentou na infânciaMedo e perseguição os são motivos centrais nas suas obras. Para ele, o homem judeu que passou pelo Holocausto não poderá jamais apagá-lo de sua mente. Ele é marcado pelo seu passado e pelas suas lembranças.

Já o psicanalista carioca Davy Bogomoletz afirmou: Egito, Babilônia, Primeiro Templo, Segundo Templo, Massada, Espanha, e agora Holocausto. São marcas indeléveis, cicatrizes que talvez, um dia, parem de sangrar, mas que não deixarão de doer. A obra de Aharon Appelfeld constrói um monumento em honra dos destroçados, diante do qual caímos de joelhos. Não por veneração, coisa proibida pelo Judaísmo, mas pela impotência de permanecermos de pé. Appelfeld não é apenas um artista. É uma testemunha de acusação no Tribunal da História. Eis uma valiosa dica de leitura para nossos leitores!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Nova Eleição em Rolândia?


A Coligação integrada por PT-PPS-PCdoB-PCB e seu candidato a Prefeito Fábio Nogaroto, ingressou na tarde de hoje com Recurso contra a Diplomação do prefeito reeleito de Rolândia, João Ernesto Joni Lehmann e seu vice José Danilson. O feito deverá ser remitido ao Tribunal Regional Eleitoral - TRE. Para a Coligação, Joni e Danilson atentaram gravemente contra a lisura do pleito eleitoral de 2012, por meio do uso irregular da máquina pública e demais meios ilícitos em favor de suas candidaturas. Portanto, é forçoso reconhecer que a decisão pela diplomação dos mesmos está em manifesta contradição com as provas reunidas pela Justiça Eleitoral nas demandas judiciais anteriormente propostas e que versam sobre os seguintes casos: 1)- uso indevido do site da prefeitura para auto-promoção do prefeito; 2)- caso dos holerites; 3)- caso das cestas básicas (envolvendo o Vereador situacionista Paulo Santis - PTB) e 4)- caso Tribuna do Vale do Paranapanema. As provas, que envolvem condenações judiciais já publicadas, demonstram que a reeleição do ora Prefeito foi viciada no processo de eleição e de votação, a partir do abuso de poder econômico e político, uso indevido dos meios de comunicação e da máquina pública, captação ilícita de sufrágio e demais meios que são enquadráveis no que alguns autores consideram como vale tudo eleitoral. A Carta Magna considera que a concretização do direito de acesso às funções públicas está condicionada à realização de eleições legítimas, desta forma entendidas pela ausência de influência indevida na liberdade de voto, seja através da influência do poder econômico, do abuso do poder político e da corrupçãoNo caso de Rolândia, a conjugação de todos estes fatos serviram para o desequilíbrio do pleito, restando o processo eleitoral e de votação viciados, e, portanto, ilegítimos! Por estes motivos, a Coligação Novo Tempo Rolândia requer que se decrete a nulidade da proclamação do resultado da eleição majoritária para o Município de Rolândia em 2012, seguida da consequente decretação da invalidade da diplomação dos recorridos, Joni Lehmann e José Danilson, determinando a realização de novas eleições entre os vencidos (Eurides/Márcio e Fábio/Farina) para restabelecer a legalidade do pleito.