Google+ Followers

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Dois Paranaenses contra tsunami ruralista!


Um verdadeiro "tsunami" ruralista varreu a Câmara dos Deputados e o novo Código Florestal foi aprovado por ampla maioria. Agora, o texto segue ao Senado onde as perspectivas político-ambientais são péssimas. Fato pacífico, a imagem do Brasil está em frangalhos: Críticas severas foram ouvidas em vários países... APPs foram reduzidas... Crimes hediondos de desmatamento - cometidos contra o Povo Brasileiro e a Humanidade - foram anistiados... Admitamos: Somos um País de políticos oportunistas, onde reina a impunidade! A última esperança da Humanidade será o veto da Presidente Dilma (PT), aos destaques e pontos mais retrógrados do texto, no mínimo. O ideal, embora utópico, seria um veto integral, como defende, aliás, vastos setores da sociedade organizada. Dos Deputados Federais do Paraná, apenas Rosane Ferreira (PV) e o rolandense Dr. Rosinha (PT) votaram contra o novo e aberrante Código. Vamos aguardar...

terça-feira, 24 de maio de 2011

Nacional estréia com pé direito fora de casa!



O Nacional Atlético Clube estreou bem na Divisão de Acesso do Paraná. Em União da Vitória, no Estádio Municipal Antiocho Pereira, o NAC venceu a equipe do Iguaçu por 1 x 0. O gol inaugural do certame, foi convertido pelo atleta Pezão, do alvi-anil. Na próxima quinta-feira (26/05), às 20:30 horas, em Rolândia, o Nacional enfrentará a equipe do Cascavel no Estádio Municipal Erich Georg. Será hora de assegurar mais três pontos e a liderança da competição. Ingressos à R$ 10,00 (dez reais). Avante e sempre, NAC: 63 anos de Paixão e Tradição!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Simplesmente, Dyckia agudensis...



Quem já peregrinou pelos Campos de Altitude da Serra dos Agudos e Cadeado - Norte do Paraná – sem dúvida, encantou-se com uma rústica bromélia do gênero Dyckia.  Tal gênero é constituído por plantas terrestres, endêmicas do Brasil e quase todas ameaçadas de extinção. Outro não é o caso da suculenta Dyckia agudensis, com resistente caule adaptado à adeversidade de seu habitat. As raízes  de exemplares adultos e saudáveis podem suportar o peso de um homem. A espécie está, milagrosamente, conseguindo sobreviver ao aumento expressivo de queimadas na Serra. Contudo, tais sinistros, acabam por destruir o sistema radicular da planta - que acaba por se soltar do substrato. Adquirimos alguns indivíduos nestas condições [após queimadas ocorridas em pastagens na Serra do Cadeado]. Após a eliminação das condições de estresse (queimadas) os indivíduos desenvolveram novo e vigoroso sistema radicular. Atualmente estão plenamente adaptados as condições ambientais do Refúgio Peroba Rosa [aproximadamente 700 metros de altitude] em Rolândia, Paraná. Em setembro de 2010, registrei a florada da espécie em Rolândia. Entrei em contacto informal com os estudiosos Vinícios AntônioJosé Francisco Haydu solicitando auxílio na busca por maiores informações sobre esta variedade de Dyckia. Cabe ressaltar que encontrei uma planta assemelhada no Blog Dyckia Brazil, contudo faltaram mais detalhes [zoom de caule, haste floral, folhas] para facilitar uma eventual confirmação de classificação. Enquanto o mistério permanece, em homenagem ao Templo do Montanhismo Norte Paranaense, batizei esta bromélia como Dyckia agudensis. Quiçá possam, meus filhos, conhecê-la em seu habitat natural: As Serras do Norte do Paraná!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Coritiba F.C: Orgulho do Paraná!


Um jogo vibrante e um adversário de tradição... O gigante paulista (Palmeiras) sucumbiu em terras Paranaenses! A tendenciosa imprensa (paulista e carioca) afirmava (antes do jogo) que a invencibilidade do Coxa se devia ao baixo nível de nosso Campeonato... Teve que engolir uma retumbante goleada por 6 x 0!  Quem assistiu ao jogo de ontem vibrou com um elenco sem estrelas milhonárias, mas com raça e amor à Camisa! A vibrante torcida alvi-verde foi um espetáculo à parte! Que venham Flamengo ou Ceará... O plantel e a torcida Coxa Branca estão à altura de qualquer adversário! Parabéns ao Glorioso: Orgulho do Paraná!



domingo, 1 de maio de 2011

Roland und Appel, 1960.


Rolândia, Terra Prometida... Com este título - editado pela USP - a Pesquisadora Ethel Kosminsky traçou um valioso perfil étnico e sociológico dos  alemães que moldaram a História de Rolândia. Traço comum a maioria destes imigrantes e refugiados era o amor pelas Artes. Rolândia foi retratada em verso, prosa e tela... Na aquarela acima, da década de 60, observamos a Estátua Roland em seu lugar de origem - na atual Praça Castelo Branco - por Sigfried Appel, meu avô materno. Apesar dos efeitos do tempo, é possível observar o antigo Parque Infantil, com sua cerca e escorregador... Chama atenção, ainda, o brilho das árvores - possivelmente relacionado a  luminosidade dos trópicos - em oposição ao cinza invernal da Silésia, atual Polônia, terra natal do Autor.  A original Estátua Roland de Bremen é Patrimônio da Humanidade, segundo a UNESCO.