Google+ Followers

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O recomeço da História!


By José Carlos Farina.

A polêmica sobre a demolição do Hotel Rolândia chegou a um final - ou melhor - recomeço feliz! Após a Ação Popular protocolada pelo Advogado José Carlos Farina e as várias manifestações contrárias à demolição em Blogs, Rádios, TVs e Jornais de toda região, a Prefeitura cassou o Alvará de Demolição e comprou o Hotel Rolândia. O prédio será transferido para uma área pública e abrigará um Museu Municipal! Parabéns a Prefeita em exercício, Sabine, pela atitude histórica!

Sanepar abandona Rolândia!


Um fato lamentável nos chamou a atenção durante este final de semana chuvoso. Devido à ausência de sargetas na parte final da Rua Monteiro Lobato, Jd. Roland, as águas pluviais acabaram por erodir e expor a rede de abastecimento da Sanepar (que acabou por se romper). Segundo apuramos com os moradores, o fato se deu à 1:00 h. da manhã de Domingo. O problema é que Agência da Sanepar de Rolândia não possui uma única equipe de plantão para atender eventuais emergências... Assim sendo, o vazamento continuou até hoje (segunda-feira), quando a Agência de Rolândia retomou suas atividades! Diante do exposto, são cabíveis as seguintes indagações: 1- Será que um Município com 50 mil habitantes não merece maior atenção? 2- Será que a prestação de serviços públicos essenciais podem ser paralizadas aos finais de semana? Com a palavra o Prefeito, os Vereadores e a referida empresa...   

domingo, 30 de janeiro de 2011

A magnífica Serra Grande...


 Nem só ao Pico Agudo é dirigida a devoção dos Montanhistas Pés-Vermelhos. Qual de nós, ao chegar ao ponto culminante da Serra dos Agudos, não se encantou com a imponência da Serra Grande (magnífica chapada de aproximadamente 6 km de extensão e 450 metros de altura) à oeste do Rio Tibagi em Ortigueira, Bairro Natingüi? Todos, seguramente!

 Portanto, devo agradecer aos Irmãos de Montanha, Zero, Azevedo, Pantoja, LG e Pacheco pela oportunidade ímpar de peregrinar pelo setor ocidental do Templo do Montanhismo Norte Paranaense...


 Corria o verão de 2009... O projeto era partirmos de Londrina, em um 4x4, rumo à Serra Grande para uma travessia Sul-Norte, via cume. 


 Mal havia conseguido pegar no sono (era grande a ansiedade e expectativa) e o telefone toca. Era Pantoja. Afirmou que tão logo fossem concluídos os reparos mecânicos, o Zero iria me buscar.  Olhei para o relógio, era 1:30 da matina. Fique em vigília e o Zero só foi aparecer às 5:30...


 Fui apresentado ao pessoal com “The piper at the gates of down” como pano de fundo musical. Alguns tragos no “Tabaco de Montanha” e as estrelas no firmamento anunciavam um excelente final de semana na Serra! 

 Entramos no Jeep (em um aperto danado) e partimos em direção à Tamarana... Às 8:30 passávamos ao largo da Serra do Arreio e pouco após, chegamos à Ponte sobre o Rio Apucarana Grande. A partir daí, a estrada torna-se cada vez mais “off-road” com direito a travessia de rios e ladeiras...


 Após duas horas, vencemos um grande aclive sob sol escaldante... O belíssimo azul de verão era a moldura ideal para a Serra Grande! A “estrada” ainda nos reservava belos ângulos dos paredões do Morro do Taff e do cume do Pico do Portal, ambas formações integrantes do complexo Serra dos Agudos.

 Após abrirmos e fecharmos várias porteiras, cruzamos a Serra Grande e o Morro do Meio, único acesso a sede da Fazenda, onde deixamos o Jeep e iniciamos a caminhada...

 Já eram 16:00 hrs quando colocamos o pé no carreador que leva ao cume. Ascendíamos de maneira rápida. Enquanto o Pico Agudo escondia-se ao Oriente, a Serra do Cadeado e Pedra Branca descortinavam-se ao Ocidente. 

 Após uma caminhada sem maiores percalços, chegamos ao cume de espantosa amplitude! Optamos por seguir o lado ocidental do Vale. Caminhamos uns três ou quatro quilômetros quando chegamos ao fim da trilha! Seguiríamos? Em Assembléia, decidimos que o retorno era a atitude mais plausível diante do por do sol iminente.


 Montamos acampamento sob um grande Ingá ferradura (Ingá sessilis), no interior do Vale e próximo ao abençoado Córrego do Cume. Lual sem nuvens, com direito a muito Tabaco de Montanha, Tequila e um show de estrelas cadentes...


 Ao abrigo do vale, a calmaria era total e a temperatura extremamente agradável. Acordamos sob um azul intenso, com direito a uma ducha refrescante no Córrego.

 Curados da “ressaca”  decidimos retornar em direção à face oposta, na ânsia pela visão do Cânion, Pico Agudo e Serra do Cadeado.


 Conforme deixávamos o vale  e nos aproximávamos do cume um imenso mar de nuvens descortinava-se!Parêntesis as belíssimas formações de Palmeiras Jerivás (Syagrus romanzoffiana). Um pouco mais acima (rumo norte) chega-se a um amplo campo repleto de Dyckia agudensis que emoldura os fantásticos precipícios montanha abaixo e os imponentes paredões do Pico Agudo à frente.


 Regateamos no campo por algumas agradáveis horas, quando nos demos conta que uma boa pernada nos aguardava morro abaixo. Retornamos com direito a um visual  deslumbrante do Morro do Meio e Pico do Portal.


 Não realizamos a travessia, mas não havia do que reclamar.  Contornaríamos a Serra Grande de Jeep em uma trilha alucinante, no interior do Cânion mais profundo do Estado do Paraná.

 Curtindo “ummagumma” chegamos a “Távola Redonda” abaixo da maior Figueira Branca que  vi em minha vida! Como se não fosse suficiente, ainda éramos abençoados com uma visão espetacular da face totêmica do Pico Agudo.


 Próximo ao por do sol contornamos o lado norte da Montanha e paramos para as tradicionais festividades de crepúsculo,  em um local batizado como Observatório. 

 Assim que caiu a noite,  completamentes extasiados, enfrentamos em estado de semi-torpor os vários quilômetros de estradas "off-road" e de asfalto que  separavam nosso Templo dos afazeres diários mundanos...  


sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A "Sabedoria" e a "Inteligência" do Câncer!

Recebi uma indicação de vídeo do amigo Andrey Romaniuk. Antes de reproduzí-lo, cabe tecermos uma única advertência: Qualquer semelhança com nossa civilização não é mera coincidência!!! Achamos por bem empregar o termo "civilização" em atenção a resposta de Álida Carvalho, na lista de e-mail: O "corpo" tem zilhões de outras células que se reproduzem tanto quanto as cancerígenas e não prejudicam em nada o ambiente em que vivem, pelo contrário, são de extrema necessidade para seu bom funcionamento. Elas apenas não se reproduzem de maneira desordenada. Assim sendo, o vídeo chama a atenção dos indivíduos para o tema ambiental da sustentabilidade! Boas reflexões à Todos!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Projeto Burra!


Há poucos dias, recebi um texto do amigo Daniel Steidle (Educador Ambiental em Rolândia).  Escrito em liguagem simples, porém propositiva, encantou-me por seguir o mesmo conceito proposto pelos Jardins da Amizade! Como já diziam vários Sábios,  "tudo o que é bom, deve ser compartilhado"... Assim sendo, segue o texto: Ainda na rede discada e distante da velocidade necessária para acessar imagens e notícias grandes, curtimos nosso "pequeno paraíso" (terminamos o ano com a visita de 29 jararacas - 2011 já começou com uma cobra!) (espero que você não seja da turma do "credo!" – afinal, usamos o carro, imensamente mais letal). Gosto por gosto, poderíamos nos superar em 2011 começando com um diálogo maior. E nada melhor para uma boa conversa do que uma boa missão em comum... Para isso talvez seja interessante saber mais sobre o que você esteja fazendo, especificamente em termos de sua paixão ou missão. Tivemos o Dr. Paulo Ernani, aposentado da Embrapa-Florestas, de visita nos últimos dias de 2010 e no levantamento das inúmeras árvores diferentes anotei uma preocupação que talvez seja base para construirmos algo em cima: “a monotonia tomando conta de uma humanidade saturada”. Mas qual seria o contrário de monotonia? Diversidade? No requisito "diversidade" temos muitas opções - banco de dados, livros, filmes, Wikipédia.  Mas falta algo local muito mais “vivo”, real, interativo e pessoal. A começar, por exemplo, pelas fabulosas coleções de plantas de tantos jardins da região, além do saber não formal da diversidade de gente (só citando o  Haydu de Rolândia que fotografa na cidade mais de 20 tipos diferentes de beija-flores no jardim da casa dele). Poderíamos deixar um legado positivo e diferenciado, uma espécie de “Arca ou Burra do Norte do Paraná” e promover um desenvolvimento, de fato, sustentável. Vamos conversando?   Abraço! Daniel, 10-01-11. 

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A quantas anda o futuro Cemitério Jardim?

Cemitério Jardim da Paz em Porto Alegre - RS

Na época em que ocupava o cargo de Diretor Municipal de Meio Ambiente, uma grande preocupação era  o iminente esgotamento do Cemitério Municipal de Rolândia. Destaca-se que algumas medidas foram tomadas visando prolongar sua "vida útil"  pelo ex-prefeito Eurides Moura (aquisição de nova área) e pelo atual Johnny Lehmann (construção de carneiras verticais). Juntamente com o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente - COMDEMA, Vereadores de situação e oposição e Alcaide Municipal foi definido que será adotado o conceito de Cemitério "Jardim" ou "Parque". Em atenção à Legislação Ambiental vigente, indicamos que tal obra deveria ser realizada em uma bela Colina (a poucos minutos do Centro e da Vila Oliveira) na Bacia do Ribeirão Vermelho. Descartamos a Bacia do Ribeirão Cafezal por se tratar de manancial de abastecimento do Município de Londrina. Realizamos ainda, uma consulta prévia (sem custos ao erário) com a equipe do Professor e Engenheiro Sanitarista da UEL, Dr. Fernando Fernandes que encantou-se com a topografia do local e o conceito proposto para o novo Cemitério Municipal. Isto posto, indagamos aos Nobres Edis e à atual Administração: A desapropriação da área indicada já está em andamento? O licenciamento ambiental foi iniciado? Qual é a vida útil do atual Cemitério?  Com a palavra nossos Vereadores e Prefeito Municipal...

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Idade do Universo: Bíblia versus Big Bang?


Para muitos crentes, Bíblia e Ciência são opostos irreconciliáveis. Entretanto, em Imortalidade, Ressureição e Idade do Universo: Uma visão Cabalística, o Rabino e Físico Aryeh Kaplan, de abençoada memória, cita um antigo manuscrito denominado Otsar ha-Chayim, de autoria do Rav Isaac de Aco (1250-1350) que corrobora as recentes teorias científicas de que o início do Universo teria ocorrido a cerca de 15 bilhões de anos:

Eu, o insignificante Isaac de Aco, achei por bem registrar um grande mistério que deveria ser mantido muito bem escondido. Um dia de Deus dura mil anos, pois está escrito: "Pois mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem (Salmo 90:4). Como um de nossos anos tem 365 1/4 dias, um ano das Alturas equivale a 365.250 de nossos anos.

Com base em interpretações clásicas do Midrash e no Sêfer ha-Temuná (antigo  trabalho cabalístico atribuído ao Sábio do Século I, Rabi Nechunia ben ha-Cana), Rav Kaplan, levando em consideração os ciclos sabáticos, cita que a idade do Mundo é de 42.000 anos. Este ensinamento foi matéria de uma interpretação muito significativa do Rabino Isaac de Aco. Ele era um estudioso e colega de Ramban (Nachmânides), e um dos mais importantes cabalistas de seu tempo.

Assim, de acordo com o Rabino Isaac de Aco, o Universo teria 42.000 x 365.250  anos de idade. Isto vem a ser 15.340.500.000 anos, um número significativo. Partindo de cálculos baseados na expansão do Universo e outras observações cosmológicas, a ciência moderna concluiu que o Big Bang ocorreu há aproximadamente 15 bilhões de anos. Aqui vemos o mesmo número apresentado pela Torah há  centenas de anos!

Sintetizando: Para Rav Kaplan, não há conflito real entre a Torah e a ciência a respeito desta questão tão crucial. Só se pode concluir que os ensinamentos da Torah foram ratificados pelas modernas descobertas científicas. Estou certo de que muitos vão achar que isto é objeto de muita controvérsia. Contudo, é importante saber que esta opinião existia (há séculos) em nossa literatura clássica; Moral da história: Ciência e Religião não são e nunca serão opostos!

O Rabino Aryeh Kaplan.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Liberdade de Consciência!


Democracia, marketing, liberdade de expressão, controle dos meios de comunicação: Eis alguns temas recorrentes! É fato que, diariamente, somos "bombardeados" com marketing comercial, político e ideológico... Há quem postule a tese de que consciências podem ser manipuladas como se "ente uniforme" fossem.  Neste quesito, nossas referências às advertências contidas nas Obras Admirável Mundo Novo de Aldous HUXLEY e 1984 de Georg ORWELL. Para nós, o termo "massa" é uma expressão usual com conotação depreciativa. A experiência demonstra que, quando um grupo de pessoas escuta um discurso ou assiste um filme, cada um deles tem sua própria reação frente àquilo que foi dito (logicamente, levando-se em conta o grau de desenvolvimento cultural e a visão espiritual individual) Tendo em vista tais fatos, qualquer forma de controle dos Meios de Comunicação pelo Estado (ou por instituições paraestatais de cunho ideológico) é proposta indigente e anti-democrática! Para José Lúcio GLOMB, Presidente da Seccional Paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil, "controlar os meios de comunicação significa implantar a censura por vias oblíquas. E sabemos como a censura custa caro para a população que tem todo o direito de informar, de ser informada, de informar. Excessos devem ser apreciados por um Judiciário independente. É só com este arsenal - democracia, liberdade e o direito de emitir opinião livremente - é que seremos capazes de combater males como a violência, foice que retalha sobretudo brasileiros jovens, em plena idade de aprender e construir". Para aqueles que ainda mantém a ilusão de implantar a censura ideológica nos Meios de Comunicação, lembramos que a cortina de ferro soviética, de viés stalinista, não foi capaz de conter fenômenos democráticos como a Primavera de Praga. Neste sentido, o imortal escritor tcheco Millan KUNDERA demonstra que o unipartidarismo jamais será capaz de suplantar a liberdade de consciência individual! Logo, as ditaduras (de direita ou esquerda) são um ultraje ao ser humano! Isto porque, leciona BUNIM (Ética do Sinai, p. 201): Cada indivíduo é um ser humano, um microcosmo sagrado, um mundo por si próprio. Quando você vir uma multidão, perceba e lembre-se de que cada ser humano é um ente único, um "mundo" diferente. Cada pessoa tem seus próprios segredos e pensamentos (...) Esta é a essência, o núcleo da liberdade humana - que as mentes das pessoas não podem ser conhecidas nem podem, portanto, serem subordinadas ou controladas tiranicamente.  A Suprema Inteligência que originou este mundo fez com que não houvesse duas pessoas iguais nem em aparência, nem em pensamento! Consciências não podem ser controladas! 


quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Preocupação com os recursos hídricos!


A publicação do artigo negligência ou irresponsabilidade por Arquivos (des)conexos surtiu efeito. Em Rolândia Politika, o vereador Fábio Nogaroto (PT), informou que não tinha conhecimento que o Projeto de Lei que pretende criar as APAs (Áreas de Proteção Ambiental das Bacias dos Ribeirões Ema-Jaú e Cafezal) estava arquivado na Câmara há seis anos. Nogaroto informou que regressará à Rolândia no próximo dia 26 para discutir a questão. Ele acredita que teremos dificuldades em colocá-lo para andar e ser votado, uma vez que parece não atender a vontade dos mandatários locais. Entretanto, o edil acredita na possibilidade de um bom e franco diálogo entre comunidade e órgãos públicos! Na ocasião, informamos que SANEPAR e IAP (Dr. Saulo Gaspar) têm conhecimento da existência do Projeto de Lei, bem como estão dispostos a somar esforços pela sua aprovação! Vamos aguardar...

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Cuidado com os Governantes!


Raban Gamliel dizia: “Procura ser cuidadoso na tua relação com os governantes; só são acessíveis quando seus interesses o determinam, parecem amigos quando tem necessidade de ti, mas na hora da adversidade abandonam-te”.
(Pirkê Avot, 2:3)

Existem verdades que são atemporais... Antes das eleições, os políticos são acessíveis, os candidatos afáveis e suas promessas de campanha soam lindas e inspiradoras. Afinal, eles precisam do seu voto. Mas uma vez que tenham ganho a eleição, o que acontece? Em circunstâncias normais, eles provavelmente honrariam suas palavras. Mas "em sua hora de necessidade", em meio a uma crise, quando eles enfrentam pressões e tensões, eles esquecem tudo a respeito dos compromissos assumidos (Irving Bunim, A Ética do Sinai, p. 80). Esta, infelizmente, é a regra da política mundana em todas as esferas, nações e tempos. Recuso-me a fazer este "jogo" e a esquecer meus compromissos e companheiros. Assim, tenho colecionado inúmeros adversários e desilusões ao longo do tempo... Contudo, há, ainda, outra forma de interpretar esta máxima atemporal: Talvez o "poder governante" com o qual nossa Mishná nos recomenda ser cuidadosos não seja o humano, mas a própria Providência Divina. Preste atenção especial nas tuas relações com o Criador.  Em seu poder é que tu deves, em última instância, depositar sua confiança.  Congressitas e estadistas são somente mensageiros, cujo poder e influência são, na verdade, bastente limitados. Hoje estão no poder, amanhã serão esquecidos. Inseguros e temerosos de seu futuro, "mostram-se amistosos quando lhes convém mas não concedem ajuda ao próximo na hora de necessidade". Quão sabiamente diz o salmista: "Não deposites tua confiança em príncipes, no filho do homem, pois neles não encontrarás ajuda" (Salmos, 146:2). É melhor rogar ao Eterno e confiar no verdadeiro governante do mundo e no Poder que está além de todos os poderes  (Irving Bunim, A Ética do Sinai, p. 81).  Esta é a verdadeira Política, eterna e imutável! O resto é vaidade e vento que passa, como dizia o Eclesiastes...

NEGLIGÊNCIA OU IRRESPONSABILIDADE?


Nosso Projeto de Lei que pretende criar as Áreas de Proteção Ambiental - APAs - das Bacias dos Ribeirões Ema, Jaú e Cafezal (mananciais de abastecimento público de Rolândia e Londrina) encontra-se há mais de 06 (seis) anos engavetado na Câmara Municipal de Rolândia.

O Código Ambiental do Município outorgou competência ao COMDEMA para analisar (art. 5º § 4º) qualquer Projeto de Lei que “direta ou indiretamente venha gerar impactos ambientais, antes das discussões em plenário pela Câmara Municipal”. 

Ressalta-se que o COMDEMA – Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente - já emitiu parecer favorável ao referido Projeto de Lei que, posteriormente, foi encampado pelo Vereador José Danilson Alves de Oliveira (PSB).

À época, disponibilizei ao Legislativo, cópias de minha Monografia de conclusão do curso de Direito na UEL intitulada “Áreas de Proteção Ambiental no Direito Municipal” com o intuito de facilitar o trabalho de elaboração de Parecer pelas Comissões da Câmara de Vereadores.

Todos concordam que a água é fundamental para o desenvolvimento social e econômico. Devido à ausência de Legislação preservacionista específica para os mananciais de abastecimento público, vários crimes ambientais estão em curso na Bacia do Ribeirão Ema, afetando a qualidade da água servida à população de Rolândia (os fatos já foram devidamente denunciados ao Ministério Público).

Não é necessário ser um exímio operador do Direito para visualizar que o prazo para votação do Projeto não é ad eternum, o que nos leva a indagar: Qual seria o motivo de tal engavetamento? Rivalidade e/ou interesses políticos, econômicos, negligência, irresponsabilidade ou falta de tempo?

Qualquer cidadão mediano consegue visualizar que a evidente negligência - ou irresponsabilidade – do Legislativo afetará, em curto, médio e longo prazo, a qualidade de vida e a saúde de mais de duzentas mil vidas humanas tanto em Rolândia, que é abastecida pelos Ribeirões Ema e Jaú, como em Londrina, onde 40% da população é abastecida pelo Ribeirão Cafezal.

A criação das referidas APAs, em consonância com o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (Lei Federal nº 9.985/2000), é um instrumento seguro para que Rolândia possa implementar uma coerente Política de Planejamento Ambiental.

Ademais, a Câmara Municipal não pode se esquecer que o art. 225, parágrafo 1º, inciso III, de nossa Carta Magna, impõe ao Poder Público, o dever de definir, “em todas unidades da Federação, espaços territoriais e seus componentes a serem especialmente protegidos”, outorgando, portanto, competência aos Estados e Municípios para criarem tais Espaços de Preservação Ambiental.


Desde a edição da Lei 6.902/1981, que instituiu a Política Nacional do Meio Ambiente, vários Municípios brasileiros vêm criando e implantando, tal espécie de Unidade de Conservação de Uso Sustentável como forma de ordenar (através do zoneamento ecológico-econômico) as atividades produtivas em consonância com a finalidade de conservação e recuperação ecológica.

Não há como negar, a não ser em caso de total insanidade mental, a importância das Áreas de Proteção Ambiental, na busca de um estágio de desenvolvimento socioeconômico ecologicamente sadio e harmonioso.

A criação das APAs buscará a descentralização político-administrativa para que, em conjunto, Governo e Sociedade (através dos Conselhos Gestores) edifiquem uma Cidade Sustentável, com um elevado padrão de qualidade de vida, através da integração entre as zonas rural e urbana.

Com isto visamos à adoção de um sistema eficiente de gestão ambiental, que busque conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação e recuperação do meio ambiente.

As ciências jurídicas, biológicas, econômicas e sociológicas adquiriram consciência da importância de um meio ambiente sadio e equilibrado. Devido a este fato, tal princípio se encontra consagrado em nossa Lei Orgânica, Código Ambiental e Agenda 21, pois, em caso contrário, não haverá perspectivas futuras para a perpetuação deste corpo celestial denominado humanidade.

Nosso Projeto de Lei não estabelece nenhuma exigência (em termos de reflorestamento e controle da atividade agrícola) que já não estejam previstas no ordenamento jurídico nacional.

O único ponto que vêm emperrando a votação do Projeto (segundo apuramos) é a instituição de uma faixa non aedificandi de proteção às nascentes e mananciais.  O objetivo deste dispositivo não é proibir as atividades agrosilvopastoris, mas, somente, futuras edificações.

Não há motivo para polêmica ou enfrentamento! Coloco-me a disposição da comunidade para esclarecer quaisquer pontos deste Projeto de Lei! Com a palavra nossos Nobres Edis...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Fim da História?


Várias fontes apontam que o Hotel Rolândia, primeira construção do Município, será  mesmo demolido.  O prédio teria sido adquirido por comerciantes de madeira usada.  Em nossa opinião, o Município deveria comprar o prédio e remontá-lo em um dos vários terrenos públicos ociosos da cidade. A histórica construção poderia,  ainda, abrigar o Museu Municipal, atualmente instalado em um prédio alugado. Contudo, até o presente momento a Administração Joni Lehmann não tomou nenhuma medida para evitar a perda histórica irreparável! Será que alguns milhares de reais irão fazer falta no caixa do 20º município paranaense em arrecadação de impostos?

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Vamos assinar?


Aumento de salários para Deputados, Senadores, Presidenta, Ministros, Deputados Estaduais e Vereadores é inadimissível! Levantemo-nos contra mais essa covardia do Congresso Nacional!

A Câmara dos Deputados aprovou na tarde de 15 de dezembro de 2010 um projeto de decreto legislativo, de autoria da Mesa Diretora da Casa, que equipara os salários de presidente da República, vice-presidente, ministros de Estado, senadores e deputados aos vencimentos recebidos atualmente pelos ministros do Supremo Tribunal Federal: R$ 26.723,13.

A matéria foi aprovada simbolicamente. O texto será imediatamente remetido ao Senado, para tentar votá-lo ainda hoje. Por se tratar de decreto legislativo, o projeto precisa apenas ser aprovado nas duas Casas do Congresso e não há necessidade da sanção do presidente da República. 

Os novos salários entram em vigor a partir de 1º de fevereiro. O impacto financeiro nos dois poderes - Legislativo e Executivo - ainda está sendo calculado. Mas só na Câmara estima-se que o aumento nos subsídios dos deputados (na ativa e aposentados) será de cerca de R$ 130 milhões..

Atualmente, deputados e senadores têm subsídios de R$ 16,7 mil. Presidente e vice recebem salário mensal de R$ 11,4 mil e ministros de Estado, R$ 10,7 mil. Os reajustes variam de 62% a 140%.

Há ainda o efeito cascata da medida nas assembleias legislativas nos estados e nas Câmaras de vereadores, já que a Constituição estabelece que os deputados estaduais devem ter subsídios equivalentes a 75% dos recebidos por deputados federais.

Para aumentar os seus salários, os deputados estaduais também terão que aprovar projetos nas respectivas assembleias. Esse projeto amplia o abismo entre o Parlamento e a sociedade. É advocacia em causa própria. O percentual de 62% para os parlamentares e mais de 130% para presidente e ministros, diante da realidade brasileira, é evidentemente demasia, uma grande injustiça social.

Vamos mostrar a indignação do povo brasileiro quanto ao autoritarismo evidente na manipulação do orçamento e dos recursos provenientes de arrecadação de impostos e cofres públicos. Segue, abaixo, o link para você e todos seus amigos assinarem: PETIÇÃO PÚBLICA!


PMDB de Rolândia em silêncio...


Estranha-se o mutismo do PMDB local frente a exoneração do Secretário de Educação Prof. Marco Antônio dos Santos.  Nem sequer uma linha foi publicada em solidariedade ao Companheiro injustiçado. Na Comunidade Eu Amo Rolândia o assunto repercutiu: Segundo Arno Giesen, "O PMDB, infelizmente, caiu na mão de traíras que abandonam seus companheiros, com mêdo de perder o cargo de merda que ocupam. Não passam de serviçais de 5ª categoria. O Juvencio, é claro, se refere ao Fabricio Paiva. Enqüanto o Marco Antonio foi pra rua por pressão de vereador corrupto, o Fabricio virou "Chefe de Gabinete" desse prefeito (Joni Lehmann) que conseguiu a proeza de governar dois anos sem concretizar nenhuma obra". A polêmica promete! Quais forças (ou interesses) estão em jogo?